PUBLICIDADE

A Hora e a vez do Transporte Público Coletivo

A realização de dois megaeventos esportivos no Brasil - a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016 - abriu as portas para uma nova era dos transportes públicos coletivos na cidades brasileiras.

Os desafios impostos ao país, ao ser escolhido para sediar os dois eventos, obrigaram nossos governantes a adotar uma postura mais ousada e a enfrentar, ainda que tardiamente, o caos urbano que atinge quase totalidade das grandes cidades brasileiras, vítimas de congestionamentos de trânsito crescentes que degradam cada vez mais a qualidade de vida nesses centros.

O PAC da Mobilidade Urbana, lançado recentemente pelo Governo Federal, contempla 47 projetos de infraestrutura de transporte urbano que vão beneficiar numa primeira fase as 12 cidades que serão sede na Copa do Mundo 2014. Do universo de projetos a serem implantados, 39 referemse a transporte público coletivo, dos quais 20 são sistemas BRT (Bus Rapid Transit), e cinco são sistemas sobre trilhos.

A concretização dessa primeira fase do programa sem dúvida mostrará o beneficio que esses Sistemas de Transporte Coletivo trarão para a qualidade de vida urbana, refletindo diretamente na redução dos congestionamentos e da poluição ambiental.

Os bons resultados que serão verificados certamente vão impulsionar a extensão desse programa de investimentos em mobilidade urbana para as demais grandes cidades brasileiras que, apesar de não sediarem os jogos da copa do mundo, precisam urgentemente melhorar as condições de vida de seus habitantes, implantando redes de transporte modernas e eficientes.

Tudo indica que estamos no limiar de novos tempos para os transportes coletivos urbanos no Brasil. Cabe aos diversos agentes, públicos e privados que atuam no setor aproveitar este momento.

 

Autor: NTU

PUBLICIDADE