PUBLICIDADE

Investimentos

Depois de duas décadas praticamente ausente dos investimentos em infraestrutura urbana para os transportes coletivos por ônibus, o Governo Federal reaparece em cena, motivado pelos eventos esportivos que serão realizados no Brasil - Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016-, viabilizando financiamentos para as cidades investirem em sistema de ônibus por meio dos Programas de Aceleração do Crescimento (PAC).

Trata-se de uma excelente oportunidade de recuperar espaços perdidos ao longo dos últimos anos, quando o segmento perdeu produtividade e qualidade em função do aumento dos congestionamentos urbanos e da falta de prioridade aos transportes coletivos, que obrigam os ônibus a disputar o espaço viário com os automóveis, motos e outros veículos comerciais.

 

Fonte: Mapa da Transparência

* Dados apurados pelo Núcleo de Transporte da NTU

** Dados não apurados

 

PAC Copa do Mundo

As 12 cidades-sede para a Copa do Mundo de 2014 receberão recursos do governo federal para as ações de melhoria da mobilidade urbana. Dos 47 projetos beneficiados, 31 são de transporte público por ônibus, sendo 17 em BRT.

O governo federal vai financiar R$ 2,5 bilhões dos projetos de BRT com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Os estados e municípios devem entrar com a contrapartida para arcar com os demais curtos. A verba federal é repassada por meio do Pró-Transporte, um programa do Ministério das Cidades.

 

PAC Mobilidade Grandes Cidades

Em abril de 2012, o governo federal anunciou investimentos de R$ 32 bilhões em transporte público por meio do PAC da Mobilidade Grandes Cidades. São R$ 20 bilhões em verbas federais e R$ 12 bilhões de contrapartidas estaduais e municipais.

Os recursos serão destinados à construção de 600 quilômetros de corredores de ônibus, 380 estações e terminais, entre outros. A princípio, seis projetos de BRT em quatro cidades brasileiras receberão uma verba de R$ 2,7 bilhões.

 

PUBLICIDADE