PUBLICIDADE

Ministério libera R$ 90 mi ao BRT

O Ministro das Cidades, Alexandre Baldy assinou ontem com o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB) a autorização para início das obras do BRT - o sistema de corredores exclusivos de ônibus, que vai ligar o Centro de Campinas aos distritos do Campo Grande e Ouro Verde, no que é considerado o maior projeto de mobilidade da história recente da cidade.

O Ministério anunciou a liberação de R$ 90 milhões para a construção do trecho do BRT do Campo Grande.

O recurso virá do Orçamento Geral da União e, segundo a Administração, não vai exigir contrapartidas da prefeitura.

Do valor total da obra do BRT, de R$ 451 milhões, a Administração municipal já obteve R$ 390 milhões (incluindo o valor da autorização assinada hoje).

"É muito importante esta liberação porque agiliza essa obra fundamental para quem utiliza o transporte público em Campinas", disse o prefeito.

Jonas anunciou ainda que deverá assinar as ordens de serviço para o início das obras de quatro estações de transferência: Rodoviária, Bonfim, Alberto Sarmento e Vila Teixeira, além de acelerar os trechos já em andamento.

O BRT O Sistema BRT prevê dois grandes corredores - Campo Grande e Ouro Verde, e uma interligação entre eles.

O Corredor Campo Grande terá 17,8 km de extensão.

Sairá da região central e passará pelo leito desativado do antigo VLT, seguirá pela Avenida John Boyd Dunlop até o terminal Itajaí. O Ouro Verde terá 14,4 km de extensão e vai sair do centro pelas avenidas João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim até o Terminal Vida Nova.

A perimetral terá 4,1 km de extensão.

Ao todo, o BRT terá 33 estações de embarque e desembarque, cinco terminais de integração e 16 das chamadas "obras de arte", que são pontes, viadutos e passagens de nível. Pelos corredores serão transportados 450 mil passageiros.

Fonte: Metro Jornal 

PUBLICIDADE