PUBLICIDADE

Prefeitura destaca transportes em balanço sobre os Jogos Rio 2016

O balanço apresentado pela Prefeitura do Rio sobre a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, na tarde desta segunda-feira (19), teve como destaque o número de pessoas transportadas na cidade no BRT, metrô, trens, VLT e barcas. O prefeito Eduardo Paes também anunciou qual será o destino das piras olímpica e paralímpica.

De acordo com o município, foram quase 20 milhões de pessoas transportadas entre 5 de agosto e 18 de setembro no sistema BRT.

Na Paralimpíada, a média diária de passageiros que utilizaram o serviço foi maior do que na Olimpíada: 739 mil passageiros. Na Olimpíada, foram 700 mil passageiros por dia no BRT.

Durante a Paralimpíada, as três linhas do metrô (1, 2 e 4) transportaram 8,2 milhões de pessoas. No mesmo período de setembro, foram 765 mil entradas a mais no sistema.

Já os trens da concessionária SuperVia transportaram quase dois milhões de passageiros. E o VLT transportou entre a Olimpíada e a Paralimpíada mais de um milhão de pessoas em 5 mil 547 viagens. Entre os dias 5 e 21 de agosto foram transportados 756.173 passageiros, quase o dobro do período paralímpico entre os dias 7 e 18 de setembro. 

Na coletiva de imprensa, no Centro de Mídia, na Cidade Nova, o prefeito Eduardo Paes  agradeceu a paciência dos cariocas durante os anos de preparação da cidade para a realização dos Jogos 2016.

Sobre o destino da pira olímpica, Paes disse que o símbolo dos Jogos ficará instalado no Boulevard Olimpico, em frente à igreja da Candelária. No entanto, ela ficará apagada porque a manutenção do fogo é cara, informou o prefeito.

Já a pira do Maracanã, que é maior, deverá ir  para o museu dos Jogos que está sendo construído, acrescentou à fala de Paes Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro.

Alívio após sucesso dos Jogos
Ainda segundo o prefeito, foram destaques dos Jogos a capacidade dos brasileiros de fazerem festa e a realização da Olimpíada. De acordo com ele, o Rio fez a olimpíada mais barata da história. Para Paes, "a missão foi cumprida".

"Nenhum de nós escondeu o nosso alívio no dia de ontem [domingo (18), encerramento da Paralimpíada]. Dá um certo vazio, mas todos nós estamos aliviados", disse Paes.

O prefeito também falou sobre o legado olímpico. Segundo ele, a licitação do Parque Olímpico já está sendo executada.

"Estamos garantindo na PPP [parceria público privada] a manutenção dos equipamentos". A previsão é encerrar o processo licitatório entre 30 e 60 dias, de acordo com Paes.

No balanço, o prefeito também comentou os atendimentos médicos durante os Jogos 2016. Ele lembrou que ninguém pegou Zika no Brasil durante os Jogos e fez críticas  aos especialistas que recomendaram que não se viesse ao Rio no período.

Ministro comenta fim dos Jogos
O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, chegou ao fim entrevista coletiva e também comentou o resultado dos Jogos 2016. O representante do governo federal elogiou a realização de eventos na Casa Brasil afirmando que visitantes saíram "encantados" do local.

"O Governo Federal fez a sua parte para o sucesso das Olimpíadas e Paralimpíadas. Eu até fico feliz com o sucesso alcançado na Paralimpíada. Nós tivemos indicadores de que o público foi maior do que nas Olimpíadas. (...) Nós queremos agora que isso se converta numa porta de entrada para que o Brasil todo receba uma maior participação do turismo. Nós queremos criar mecanismos para ampliar".

Segundo ela havia muitas dúvidas, mas foi um sucesso. "Eu disse aqui mesmo nesse auditório. Os pessimistas que se preparem. Parem, façam um giro de 180 graus e andem
Muito porque o sucesso vai ser muito grande. Acho que agora nós podemos festejar", disse.

Ingressos paralímpicos foram sucesso
Também foi elogiada, durante a coletiva, a presença da torcida carioca. Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro ressaltou a venda dos ingressos para a Paralimpíada.

Segundo ele, antes do início dos Jogos, 300 mil ingressos haviam sido vendidos. Durante os Jogos, foram vendidos em média 100 mil ingressos por dia. No total, foram comercializados dois milhões e 100 mil ingressos. Segundo ele, o judô paralímpico vendeu mais ingressos do que o judô olímpico.

 

Fonte: G1

PUBLICIDADE